quinta-feira, 19 de março de 2009

Bônus do horror


Em entrevista a Veja desta semana, o arcebispo de Olinda e Recife, Dom José Cardoso Sobrinho, aquele que excomungou todo mundo por causa do aborto da menina estuprada pelo padrasto, revelou, cinicamente, que está com a consciência tranquila. Indagado sobre o que diria ao estuprador se o encontrasse, o obscuro, medieval e machista até as orelhas sacerdote respondeu: "Eu iria procurar convertê-lo. Iria perguntar se reconhece que errou e se está arrependido. Eu não sei onde ele está, se está preso, sei lá. Mas, se tivesse a oportunidade de visitá-lo, diria a ele que pedisse perdão a Deus. Iria ajudá-lo a fazer uma oração pedindo perdão.".

Perfeitamente, seu arcebispo. É exatamente isso que todos os estupradores devem fazer: rezar e pedir perdão a Deus. Esta é a solução que a Igreja Católica propõe. E aí, depois da confissão e do perdão, o sujeito pode começar a pecar outra vez, do zero. Mas o que esperar de uma instituição que afirma ser a máquina de lavar mais importante para as mulheres do que a pílula anticoncepcional?!

Quando a gente pensa que o mundo já esgotou sua cota de atrocidades, vem a Igreja Católica e nos dá um bônus do horror.

2 comentários:

Lana disse...

João, vou falar o mesmo que disse pro pessoal do Molotov: faz um twitter. Quero te seguir lá, está faltando tuitadas socialistas.

Bruno MGR disse...

A Igreja Católica é um bônus do horror histórico.
O que vemos hoje é só perpetuação de um passado sangrento.