sexta-feira, 15 de maio de 2009

O gênio


O blog do jornalista Ricardo Noblat publicou hoje, 15 de maio, uma intrigante frase dita pelo deputado Fernando Marroni (PT-RS). Em defesa do terceiro mandato do presidente Lula, Marroni declarou: "Não posso me conformar que as leis impeçam que tenha continuidade a liderança desse homem. São poucos os líderes no mundo. De vez em quando surge um gênio. Esse é um gênio brasileiro.".
É difícil, mas vou ter de concordar. Sim, Lula é um gênio. Governa para os empresários e banqueiros, retira direitos dos trabalhadores, não move uma palha contra as demissões em massa, participa de uma invasão imperialista (Haiti) e, ainda assim, mantém uma boa popularidade. Como isso é possível? "Ele é o cara", diria o Obama. Mas o que permite o Lula segurar a insatisfação dos trabalhadores e pobres deste país é sua influência sobre eles e, claro, sua figura de operário. Se fosse um tucano, provavelmente já teria caído.

Entretanto, o que o deputado Marroni não disse é que uma hora a "quarta-feira de cinzas" chega. E aí, cara pálida, veremos o que o gênio fará.

3 comentários:

Bruno MGR disse...

O cara passou por mensalões e escândalos e continua com uma baita popularidade.
Gênio ele ou burros todos os outros?

Razek Seravhat disse...

Hitler, Mussoline,Napoleão Também foram gênios... Mas o que se quer não é genialidade nem caridades, se quer o que é de direito, distribuição de renda justa, pão, comida, ternura e não violência ou agressão aos estudantes. Somos gentes não somos coisas. Quantos seres humanos ainda precisarão morrer para se notar que o problema não é só o Lula é um sistema que nos suga a mão de obra e nos faz pensar que está tudo lindo, lindo... Chega, não suporto tanta palavra e pouca ação onde estão os revolucionários? Será que só ficaram os teórícos? Basta, como diz o autor desse espaço: "falei besteira, mas falou tá falado"

Razek Seravhat, poeta da dor e da melancolia

Querendo retribuir a visita: lenitivocultural.blogspot.com

Elliott disse...

kkkkkkkk